terça-feira, 31 de agosto de 2010

“Senhora do Destino” será lançada em DVD ainda este ano



É, parece que a aposta da Globo Marcas de lançar grandes sucessos teledramatúrgicos em DVD está atingindo as expectativas de grandes vendas e gerando bons lucros para e a empresa. Prova disso é que após promover “Roque Santeiro” em home vídeo e anunciar que no momento está em pleno planejamento do lançamento de “O Clone”, a Globo Marcas divulgou que a próxima novela a ganhar uma versão compacta em DVD será o estrondoso sucesso de audiência “Senhora do Destino”.
Assinada pelo autor que não cutuca ninguém e que é um exemplo de humildade e falta de arrogância, Aguinaldo Silva, a trama deverá chegar às lojas e aos camelôs (!) de todo o país até, no máximo, o período de fim de ano. O objetivo é exatamente aproveitar o aumento de vendas nesta época e fazer com que o produto se torne um almejado presente de Natal.


Com Suzana Vieira, Renata Sorrah e Carolina Dieckmann nos papéis principais, “Senhora do Destino” é considerada uma das novelas de maior sucesso dos últimos tempos e foi exibida de 28 de junho de 2004 a 12 de março de 2005.
Pelo que já percebi, nas minhas andanças internéticas em lojas online, os produtos deste tipo lançados pela Globo Marcas não tem preços nada convidativos. É claro que o motivo deve ser a grande quantidade de discos presentes nas edições e o árduo trabalho de compactação e introdução da novela na mídia DVD. Porém, ao mesmo tempo nota-se que tais preços altos, não estão assustando os consumidores, pois em algumas lojas online, o estoque de “Roque Santeiro” já está esgotado. Mesmo assim não custa nada torcer para que os próximos lançamentos sejam comercializados por preços mais acessíveis, pois há muita gente que com certeza gostaria de ter essas preciosidades para assistir a hora que quiser. Eu, inclusive, faço parte deste time.


segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Veja as primeiras imagens do elenco de “Glee” em “Os Simpsons”


Com estreia prevista para 26 de setembro, a 22ª temporada de “Os Simpsons” trará logo em seu primeiro episódio alguns personagens da série sucesso de audiência e crítica, “Glee”. Lea Michele (Rachel), Cory Monteith (Finn) e Amber Riley (Mercedes) foram os privilegiados com suas versões amarelas de habitantes da louca cidade de Springfield e recentemente foram divulgadas as primeiras imagens da divertida “transformação”.


Lea Michele


Cory Monteith


Amber Riley


Jemaine Clement e Bret McKenzie,
também participarão do espisódio.


Eles que já foram da Casa Branca até o sofá de Oprah Winfrey, agora estarão em um acampamento de artes do qual a inteligente Lisa é freqüentadora e farão com que a filha de Homer e Margie expresse o seu lado artístico, principalmente o musical. Neste mesmo episódio, haverá a presença dos integrantes do grupo Flight of the Conchords, Bret McKenzie e Jemaine Clement, que serão os conselheiros do acampamento.
Outras participações especiais confirmadas na nova temporada de “Os Simpsons” são a do criador do Facebook, Mark Zuckerberg, dos atores Daniel Radcliffe (de “Harry Potter”), Jon Hamm (de “Mad Men”), Hugh Laurie (de “House”) e ainda Halle Berry, Ricky Gervais e Martha Stewart.

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

SBT reprisará “A Usurpadora” pela quarta vez?


Segundo informações do site RD1, o SBT, na ânsia de melhoras em sua audiência, pode lançar mão de mais uma reprise em sua grade de programação. Porém desta vez, não seria de uma produção própria e sim de uma trama internacional que fez os brasileiros pararem na frente da TV há mais de uma década atrás.
Trata-se de “A Usurpadora”, novela mexicana protagonizada por Gabriela Spanic (que aliás, sofreu recentemente uma tentativa de assassinato) e que foi um verdadeiro sucesso de audiência em sua primeira exibição em terras brasileiras.
Caso a trama seja realmente reprisada pela emissora da Anhanguera, será a quarta vez que ela é reapresentada ao público do país, pois nos anos de 2000, 2005 e 2007 tivemos a oportunidade e rever a história das gêmeas Paulina e Paola – até hoje esta última é relembrada como sinônimo de austúcia e maldade.
Outras produções da gigante Televisa também podem ser reprisadas em um futuro próximo. “Maria do Bairro”, protagonizada pela bela Thalia, parece que também está na fila. Já no que se refere à novelas inéditas, há planos de apresentar “Camaleões” após o término de “As Tontas Não Vão ao Céu”, no horário das 16h.
É claro que exaustivas reprises não são os meios indicados para aumentar a credibilidade da grade de programação de uma emissora, mas se a envolvente “A Usurpadora” fosse reapresentada, eu não acharia ruim não...  E creio que muita gente pararia mais uma vez na frente da TV para acompanhar essa ótima produção da teledramaturgia mexicana.


quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Será? Carla Marins pode retornar à Globo e interpretar uma grande vilã


A concretização deste singular rumor seria um fato que me deixaria muito contente, caso acontecesse. Corre pelos bastidores da TV, que a competente atriz Carla Marins, que recentemente interpretou a divertida personagem Serafina Rosa Petrone Geraldy em “Uma Rosa com Amor, do SBT, pode retornar à emissora que a revelou para o Brasil, a Rede Globo, e dar vida à uma grande vilã em uma futura novela das 18h.
O grande passo na carreira da atriz ocorreria na trama que substituirá “Araguaia”, de Walther Negrão. De autoria de Duca Rachid e Thelma Guedes, as mesmas da ótima trama “Cama de Gato”, a novela tem previsão de estreia para o ano de 2011 e já conta no elenco com Paola Oliveira e Carmo Dalla Vecchia, que darão vida aos protagonistas da história.
Carla, que nos últimos anos em que esteve no banco de atores da Globo, não teve oportunidades muito animadoras, teria assim mais um grande e merecido impulso em sua carreira. Quem sabe a partir daí a emissora da família Marinho não passe a valorizar mais o talento de Marins?
Ainda sem nome definido, a produção só tende a ganhar qualidade caso a atriz realmente passe a integrar seu elenco, pois além de muito simpática, ela é dotada de visível competência. Concordam?


quarta-feira, 25 de agosto de 2010

E o gato Oscar vai para as telonas...


Você já ouviu falar em um gato de nome Oscar que prevê a morte de pacientes terminais em um hospital dos Estados Unidos? Pois bem. Se não sabe muita coisa sobre este “vidente felino”, em breve poderá ficar por dentro dessa história através de um filme inspirado na trajetória misteriosa e intrigante de Oscar, de apenas cinco de vida, que vive no Steere House Nursing and Rehabilitation Center, em Providence, Rhode Island.
Segundo informações da revista Variety, o longa será uma adaptação do best-seller “Making the Rounds With Oscar: The Extraordinary Gift of an Ordinary Cat”, do médico David Dosa. O projeto terá como roteiristas Stephen P. Lindsey e Luiz Ugaz.
Aliás, Stephen já tem certa experiência em escrever roteiros de filmes baseados em histórias ligadas à animais excepcionais e intrigantes, pois esteve à frente da história do longa baseado em fatos reais “Sempre ao Seu Lado”, que mostra o fidelíssimo cachorro Hachi, que mesmo após a morte de seu dono nunca o esquece e espera o seu retorno por cerca de 9 anos.

O gato Oscar, que tende a se tornar em breve um astro do cinema.

Oscar apareceu ainda filhote no centro médico. Mais ou menos um ano depois, os funcionários do local começaram a notar que ele se aproximava dos pacientes horas antes deles partirem dessa para uma melhor.
As explicações para tal sensibilidade felina referente à morte são de que o bichano seja sensível aos odores associados ao óbito. O longa foi encomendado pela Wind Dancer Films e Anonymous Content e girará em torno da rotina do gato pelos corredores do hospital e também do envolvimento do autor do livro, o médico geriatra David Dosa, com a descoberta da habilidade do gato que abalou sua própria crença no sistema e nos cuidados dispensados a pacientes terminais.
Pessoalmente, eu mal posso esperar por esse filme. Já havia ouvido falar da incrível e diferente habilidade de Oscar e tenho certeza que se for bem produzida e contada, essa história resultará em um longa inesquecível. Além disso, gosto muito de gatos e isso só tende a aumentar a minha ansiedade e a vontade de que seja produzido um bom filme.

Em tempo: Em um dos episódios da série House, exibida no Brasil pela Rede Record, há uma história bastante parecida com a do futuro astro do cinema Oscar. A inspiração para o “personagem” surgiu exatamente do bichano do ambulatório norte-americano. O episódio chama-se Here Kitty.

 Fontes: UOL Cinema e R7

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Especial VMA


A performance de Madonna na 1ª edição do Video Music Awards: “Like a Virgin”.


A história do Video Music Awards tem início no ano de 1984. Porém, nesta mesma época, as controversas e polêmicas apresentações da Rainha do Pop, Madonna, já possuíam uma trajetória bem considerável no universo da música pop mundial.
Uma das principais estrelas da edição de estreia da premiação, Madonna escandalizou a sociedade norte-americana com uma performance dotada de ousadia e sensualidade à flor da pele, que até hoje é considerada uma referência de grande importância quando se fala do famoso evento musical da MTV.
Na ocasião, a artista, em seus anos de juventude inspirada e transbordante em criatividade, subiu ao palco para cantar a icônica “Like a Virgin”, trajando uma combinação de bustier com vestido de casamento, que continha ainda em sua composição o famoso cinto com a marca “Boy Toy”.
Durante a emblemática apresentação, Madonna surge no topo de um enorme bolo de casamento em seu traje matrimonial, rola pelo chão, revela suas provocativas ligas e meias de seda e simultaneamente faz movimentos sexuais sugestivos. Nunca uma estrela da música havia usado tanto a mídia (em especial a televisão) em seu próprio proveito e benefício. Ali, ela arriscava, provocava e chocava com suas atitudes consideradas intoleráveis por uns e libertadoras por outros.


Se fosse nos dias de hoje, tal performance passaria até despercebida, visto que na atualidade há uma pulsante utilização de artifícios sensuais nas apresentações musicais. Todavia, para a época tudo foi considerado exageradamente erótico e levantou as sobrancelhas dos mais conservadores. E tal polêmica só contribuiu para que a popularidade e a prosperidade da carreira da Rainha do Pop aumentassem ainda mais.


Este momento da trajetória de Madonna é apontado por muitos como a passagem do status de ídolo pop para ícone cultural, tamanha foi a divergência de opiniões na época.
Uma característica muito interessante a ressaltar é a diferença das performances de hoje em relação à esta icônica apresentação. A artista está sozinha no palco. Ela é o centro de todas as atenções e não há quaisquer dançarinos complementando o ato ou quaisquer outros meios artísticos somados à performance. Ou seja, tudo está direcionado para a música e para a imagem do próprio artista em sua plenitude criativa. Muito bom, não?


Curiosidade: Na edição de 2000 do Video Music Awards, uma célebre performance apresentou uma introdução bastante parecida com esta de 1984. Cantando “Like a Virgin”, as "noivas" Britney Spears e Christina Aguilera dividiram o palco com o "noivo" Madonna, em um medley empolgante que contou com o beijo mais polêmico desta década e que  ficou na memória de todos que o presenciaram/assistiram. Inclusive, este episódio foi o escolhido para a estreia do “Especial VMA”. Clique aqui, para rever ou conferir pela primeira vez.


O Flash VMA de hoje é bem simples e breve. Na edição de 2005 do Video Music Awards, a atriz Eva Longoria foi protagonista de um episódio bem peculiar. Convidada para fazer a introdução da performance de Mariah Carey, ela surgiu no palco com um figurino digamos, inesperado e diferente. Vejam na imagem ao lado.
Imediatamente apontada como uma infeliz e condenável escolha, o fato causou um rebuliço na premiação e nas divididas opiniões dos contraditórios estadunidenses, que ora são liberais, ora conservadores.
E vocês o que acham? Longoria estava ou não estava com um figurino inadequado para a premiação? Lembrando que o VMA nunca foi e provavelmente nunca será um evento musical pontuado por ingenuidade e inocência... Mas uma coisa é inegável: Eva Longoria é muito bonita. Na verdade, linda.


segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Fique por dentro do que está rolando no mundo da TV



Mais atores de “Caras & Bocas” estarão na próxima novela de Walcyr Carrasco

E mais atores e atrizes estão tendo seus nomes confirmados na próxima trama das 19h, que terá autoria do consagrado Walcyr Carrasco. Fúlvio Stefanini e Fernanda Machado marcarão presença na novela que substituirá a pupila da Rede Globo no momento, a divertida “Ti Ti Ti”. Eles interpretaram respectivamente, o ambicioso e mau caráter Frederico e a personagem Laís na mais recente trama de Carrasco, “Caras & Bocas”, que chegou ao fim em janeiro deste ano.


Alguns outros nomes confirmados para “Dinossauros e Robôs” (título provisório) são Marcos Pasquim e Adriana Esteves (que viverão os protagonistas) e Flávia Alessandra. Ah! E tem ainda o simpático Dino, que tem cerca de 1000 anos de idade e será a grande sensação da novela – para saber mais clique aqui.

Danielle Souza é rifada do “Tudo é Possível”

Com a chegada de Vildomar Batista à direção do dominicial “Tudo é Possível”, vieram também muitas mudanças no que se refere principalmente aos quadros e aos convidados da atração.
A alteração da vez é o corte de Danielle Souza – também conhecida como Mulher Samambaia – do “elenco” fixo do programa. Os motivos para essa mudança seria o seguinte: a Samambaia estaria ofuscando a Girafa, oops!... a Ana Hickmann.


Segundo rumores, ela estaria agregando ainda uma imagem erotizada ao programa, que tem como proposta “ser uma opção de entretenimento saudável para a família”. É inevitável falar uma coisa: que a Danielle Souza realmente está insinuando um conteúdo sensual com suas roupas não há dúvidas, mas existem quadros no “Tudo é Possível” que nem de longe lembram que a atração é direcionada à família brasileira – “Jogo da Afinidade”, com suas insinuações sexuais explícitas e “Essa Moda Pega?” com aquele monte de gente somente com o corpo pintado, que o digam.

Ator Guilherme Boury deixa a Record e pode assinar com a Rede Globo

E mais um ator da Rede Record pode se mudar da Barra Funda para o Jardim Botânico. Desta vez trata-se de Guilherme Boury, filho da autora Margareth Boury. Após sua participação em “Poder Paralelo”, de Lauro César Muniz, ele não teve seu contrato renovado com a emissora e segundo boatos deve fechar em breve contrato com a emissora da família Marinho, visto que há um bom tempo existe um interesse dos diretores da Globo em tê-lo em seu casting.


Guilherme teve sua estreia na Rede Record no sucesso de audiência “Prova de Amor” e atuou posteriormente como um dos seis protagonistas do fracasso “Alta Estação” – aquela tentativa frustrada da Record em ter sua própria “Malhação”.
Esta é mais uma perda da emissora da Barra Funda este ano. Profissionais como Lavínia Vlasak, Petrônio Gontijo e Gabriel Braga Nunes deixaram o banco de atores do canal e retornaram para a Rede Globo após vários anos. O que está acontecendo com o pulso firme da Record quando se fala em segurar os passes seus artistas?

Glória Maria apresentará o “Globo Repórter” em 2011?

Pelo menos é esse o rumor da vez nos bastidores da TV brasileira. A recente substituição temporária de Sérgio Chapelin pela ex-apresentadora do Fantástico, no comando de um dos jornalísticos mais tradicionais da televisão, fizeram com que tais boatos fossem reforçados ainda mais.


Na última sexta-feira (20), Glória Maria deu o pontapé inicial no mês que ficará à frente do Globo Repórter. Mas ao que parece, os desígnios da Rede Globo são bem maiores do que isso. Caso seja aprovada e mantenha a audiência estável da atração, Glória deve substituir de forma definitiva Chapelin no comando do jornalístico a partir de janeiro do ano que vem, sendo que parece que ela agradou em cheio aos telespectadores com sua forma mais descontraída de apresentar as reportagens especiais.
Se depender da audiência, Glória Maria já pode ser apontada como o “novo” nome do Globo Repórter, pois a última edição do programa marcou 23.2 pontos, contra 10.2 da Record e 6.8 do SBT.
E você o que acha? Prefere Sérgio Chapelin ou Glória Maria no comando do “Globo Repórter”? Pessoalmente, simpatizo mais com a segunda opção, pois gostei muito da novidade levada ao ar na última sexta.

Fontes: RD1, TV Foco e O Canal

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Fique por dentro de algumas novidades da volta de Batman em outubro


Com retorno programado para o mês de outubro deste ano, o herói da DC Comics, Batman, deve ser protagonista de algumas novidades bem interessantes e ao mesmo tempo polêmicas por parte dos profissionais que estão à frente da nova fase do personagem.
Exemplo disso é o novo uniforme divulgado no começo da semana passada. Projetada por David Finch, a nova roupagem já tem dividindo opiniões entre os amantes dos quadrinhos do homem-morcego, o que não é novidade alguma quando se trata em mudanças e reformulações em heróis tradicionais.
Além da imagem ao lado, veja abaixo mais uma ilustração que mostra o “novo figurino” de Batman (esta está presente na capa de Batman Inc. e foi desenhada da série, Yannick Paquette).
Quando comparado a outros heróis que passaram recentemente por mudanças (leia-se Fantasma), até que o Homem-Morcego não foi tão alterado assim... Ainda bem. Ufa!
A ilustração vem apenas confirmar as suspeitas dos fãs em relação às mudanças da vestimenta do herói. Ao que parece os desenhistas atuais foram buscar inspirações no passado histórico para compor o novo vestuário de Batman. Tal fato é comprovado pelo codpiece adotado na parte de baixo, peça muita utilizada e famosa entre figuras aristocráticas dos séculos XV e XVI, sadomasoquistas e personagens de “Laranja Mecânica”.
Em breve duas novas séries mensais do Homem Morcego devem chegar às bancas: Batman Inc. começa a sair em outubro e Batman: The Dark Knight, em novembro.


Clique para ampliar

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Especial VMA


A desastrosa e estranha performance de
R. Kelly na edição de 2005

Poucas apresentações podem ser consideradas tão esdrúxulas e mal desempenhadas como a de R. Kelly na edição de 2005 do Video Music Awards. O artista entrou no palco sob os aplausos da platéia levada ao delírio, e saiu também sob palmas... porém acompanhadas de estranhamentos e dúvidas inevitáveis... Afinal, o que teria sido aquilo? Uma apresentação infeliz que deveria ser negligenciada pela memória dos presentes e telespectadores de todo o planeta? Ou uma prova incontestável que R. Kelly estava ficando afetado, mentalmente falando?


Deixa que eu explico melhor. Na edição de 2005 do VMA, realizada no dia 28 de agosto daquele ano, todos esperavam uma performance da canção “Trapped in the Closet”, composta pelo próprio cantor que iria apresentá-la na ocasião. A questão é que nem parecia que o próprio Kelly havia escrito a letra da música, pois sua desastrosa sincronização de lábios – o famoso playback – foi totalmente desconcertante.
Combinemos que nos últimos tempos, o playback e a pré-gravação de vocais tem se tornado bem freqüentes entre variados artistas. Até aí tudo bem... R. Kelly não seria nem o primeiro nem o último a fazer uso de tal artifício habitual. Porém, o fato dele estar completamente perdido na sincronização de lábios de sua própria canção e estar “engolindo” e pulando frases inteiras da mesma – que por sinal só contribui para o desastre da apresentação, visto que é bem esquisita também – só aumenta a vontade para que a performance acabe logo e leve embora consigo o sentimento de vergonha alheia.
Durante algumas frações de minutos da performance, Kelly ainda grita palavras que nada tem a ver com a canção e que nem sequer estão na música. Totalmente confuso, ele finge tirar os brincos sem nenhuma razão compreensível... Nos dias seguintes à apresentação, o artista foi duramente criticado pela imprensa em geral por estar visivelmente inapto para desempenhar a performance naquele momento e ainda por cima deixar um desempenho tão sofrível manchar sua carreira. Ou seja, foi tudo um desastre total. Confira no vídeo abaixo e tire suas próprias conclusões.



Nos momentos iniciais, até que R. Kelly consegue enganar bem... A situação
 fica constrangedora mesmo é nos minutos finais da apresentação.


Este momento constrangedor e absurdamente grotesco com certeza ainda deve estar vivo na memória de muitos dos leitores que estão acompanhando este “Especial VMA”, afinal ele aconteceu no ano passado e foi considerado um dos episódios mais absurdos da história das premiações musicais. Como de hábito quando se ganha um Moonman ou qualquer outro prêmio em eventos desta estirpe nos Estados Unidos, a cantora country Taylor Swift subiu ao palco para fazer seu discurso de agradecimento por ter faturado a categoria de “Melhor Vídeo Musical Feminino” pelo videoclipe da canção “You Belong With Me”. O que ninguém esperava é que no meio da fala da simpática e singela cantora, um mal educado sem noção de nome Kanye West (nunca havia simpatizado com ele, depois dessa então...) iria subir ao palco, tomar o microfone da mão da vencedora e interrompê-la ao proferir palavras grotescas que deixavam claro sua total despreocupação para com o que Taylor sentia naquele momento de reconhecimento de seu trabalho árduo. O parvo e estúpido cantor disse para quem quisesse ouvir que ficava feliz pela conquista de Taylor – quanta hipocrisia – mas que quem deveria ter faturado o prêmio era Beyoncé, pois esta havia feito um dos clipes mais sensacionais de todos tempos – o econômico “Single Ladies”.
A própria Beyoncé e o restante do público ficaram chocados com a afirmação do rapper. Alguns dos presentes mostraram a sua indignação com vaias e manifestações de apoio à estupefata Swift. Quando Beyoncé venceu a categoria "Vídeo Musical do Ano", chamou Taylor ao palco para completar o discurso de sua primeira conquista de um Moonman. Após o absurdo episódio, o arrogante Kanye quis amenizar a grande mancada que havia cometido e através de seu site pessoal na Internet e do programa Jay Leno Show, pediu desculpas pelo ocorrido. Sei não, hein West?
Segundo rumores, o artista estará presente na edição do VMA deste ano. Torçamos para que ele não repita atitudes tão deploráveis e constrangedoras como esta. Aliás, se porventura ele o fizer que escolha uma vítima com fãs tão complacentes e tranquilos como os de Taylor Swift. Caso contrário, os fãs super radicais de determinados artistas podem gerar consequências bem mais sérias para ele.

Para rever a lamentável cena, clique aqui. Surpreendentemente, não foi possível encontrar um vídeo com qualidade ao menos mediana para colocar no post. Todos os que encontrei estavam em péssima qualidade. A única execeção foi este que encontrei no YouTube, mas que infelizmente não pode ser incorporado a outros sites ou blogs, pois teve tal permissão desativada.


segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Editora Cosac Naify lança coletânea com as melhores tiras de Snoopy

  

E mais um produto editorial promete fazer a alegria dos fãs e admiradores da criação clássica de Charles Schulz, Peanuts, mais conhecido no Brasil simplesmente como Snoopy.
É que a editora Cosac Naify acaba de lançar no país uma coleção que leva o nome do personagem canino, com livros em capa dura que reúnem as melhores e mais divertidas tiras de Snoopy. Com o objetivo de marcar as comemorações dos 60 anos de existência do cãozinho do Charlie Brown, que teve sua primeira HQ publicada durante os anos 50 em impressos dos Estados Unidos, a coletânea já conta nas bancas com um dos seus três volumes que serão lançados neste semestre.
Chamado “Snoopy Extraordinário”, a primeira publicação apresenta material produzido na década de 1970.

Segundo a sinopse divulgada "o cachorro filosófico e seu dono tímido e desajeitado protagonizam situações de amizade, desentendimento e reflexão sobre questões existenciais, sempre de forma bem-humorada, seja em uma partida de beisebol ou no repouso inquieto sobre o telhado da casinha".


Além das tiras imperdíveis de Snoopy, o volume traz ainda um texto do escritor Umberto Eco sobre a trajetória de sucesso e reconhecimento do carismático cãozinho. "Snoopy Extraordinário" conta com 48 páginas, possui formato 22 x 29 cm e custa R$ 45,00. Uma outra série de publicações de Snoopy, além desta da Cosac Naify, também vem marcando presença aqui no Brasil e até já ganhou um post de destaque aqui no Anexo. Clique aqui para conferir.

Fonte: Universo HQ

domingo, 15 de agosto de 2010

“Toy Story 3” é a animação mais lucrativa da história



A união de criatividade, competência e qualidade dos estúdios Pixar só poderia ter este resultado incrível: o longa "Toy Story 3" se tornou a animação com maior faturamento da história do cinema.
O filme que antes da concretização desta façanha detinha tal título era "Shrek 2", da rival Dreamworks, que muitos dizem ser uma decepção cinematográfica, mas que pessoalmente gosto muito apesar de ter assistido poucas vezes.
Segundo informações do site Hollywood Reporter divulgadas ontem (14/08), o filme da Pixar já faturou 920 milhões de dólares ao redor do planeta, superando assim os 919 milhões arrecadados pelo longa que conta a história do ogro verde do pântano.
O sucesso extraordinário de "Toy Story 3" em faturamento já vinha sido demonstrado por marcas incríveis quebradas em semanas anteriores, como por exemplo o fato de ter se tornado na última quinta-feira (12) a animação mais bem-sucedida dos estúdios Pixar, retirando dos primeiros lugares do pódio os filmes "Procurando Nemo" e "Up - Altas aventuras".
No Brasil, os números da saga do caubói Woody e do astronauta Buzz Lightyear também impressionam: já foram mais de R$ 41 milhões arrecadados durante as oito semanas de exibição e cerca de 4 milhões de espectadores já conferiram o longa.
A competência e dedicação dos profissionais da Pixar não poderiam ser melhor recompensadas. Comprometimento com o que se faz dá nisso.
É ou não é um sucesso que merece todas as palmas?

   
Fonte: G1 Pop & Arte
Créditos das imagens: Disneymania
 

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Especial VMA


A incrível performance do
Rei do Pop na edição de 1995

O maior artista que o planeta já teve o privilégio de admirar e exaltar pode ser considerado uma presença de certa constância nas edições do Video Music Awards. Michael Jackson, o eterno rei do pop, sempre deixou seu rastro de talento extremo e competência impressionante nas impecáveis apresentações que realizou no palco de uma das mais importantes premiações musicais dos Estados Unidos.
A que destacaremos neste “Especial VMA” pode ser apontada como uma das performances mais famosas e extraordinárias da história da premiação. Trata-se da apresentação de um medley épico de alguns de seus maiores sucessos: “Beat It”, “The Way You Make Me Feel”, “Black or White”, “Smooth Criminal”, “Don't Stop 'til You Get Enough”, “Scream”, “Billie Jean”, “Dangerous” e “You Are Not Alone”. A apresentação também tinha como intuito promover seu novo álbum na época “HIStory: Past, Present and Future - Book I”.


Em 15 minutos de explosão incrível de música e dança, Jackson reforçava mais uma vez o título de Rei do Pop e ao lado do guitarrista ex-Guns ‘N Roses, Slash, desenvolvia um dos momentos mais memoráveis que o público do Video Music Awards já teve a oportunidade de assistir.
Ao som dos conhecidos solos de guitarra do artista em estilo super rockstar, o astro protagonizou uma das maiores cenas clássicas da história do VMA: durante a execução da música “Black or White”, o rei do pop é impactado por fortíssimas rajadas de vento produzidas por máquinas localizadas na superfície do palco da premiação. Seu figurino e seus cabelos são totalmente esparsos pelo ar artificial em impressionante movimento. Quando a performance acabou, a multidão no Radio City Music Hall ovacionou-o de forma ensurdecedora e digna do tamanho e da majestade da apresentação.


Naquela noite, Michael receberia ainda dois prêmios: um por "Melhor Coreografia" e outro de "Melhor Direção de Arte" pelo vídeo de "Scream", feito em colaboração com sua irmã Janet que aparece ao final do vídeo da performance aplaudindo seu incrível desempenho.
Michael Jackson provava mais uma vez que sua arte era de uma excelência incomparável e de que seu nome haveria de ficar marcado para sempre na história do pop mundial.



Na edição do Video Music Awards de 1997, a cantora Fiona Apple – uma das queridinhas da metade dos anos 90 nos Estados Unidos que conseguiu atenção dos holofotes do mundo pop por ser uma das integrantes da geração da tendência “rock feito por garotas” – foi protagonista de um dos discursos de “agradecimento” mais controversos e polêmicos da premiação. Ao subir ao palco para receber o seu Moonman de “Melhor Novo Artista”, ninguém imaginava que a bela artista não tivesse quaisquer receios ou pudores de declarar publicamente “que este mundo é uma bullshit” (a tradução todo mundo sabe, não é?), referindo-se claramente à MTV e aos negócios da música de sua época. Além disso, a cantora aconselhou o público a não se deixar influenciar pela “cultura de celebridade” e evocou o nome de Maya Angelou ao declarar “seja você mesmo quando falar às outras pessoas”.
Apesar das aparentes manifestações de apoio e aprovação do público presente na premiação, principalmente por saudações com aplausos e gritos, o discurso de Fiona Apple gerou muita repercussão e polêmica na mídia nos dias seguintes, o que foi reforçado ainda mais por um comentário irônico do anfitrião da premiação, Chris Rock, após a controversa fala. Muitos apontavam o discurso como hipócrita e descabido, pois como uma artista que gravara um vídeo picante apenas de calcinha podia dizer para outras pessoas ignorarem a cultura da celebridade? Esse era o questionamento principal nas publicações que noticiaram o fato. No entanto, a cantora não recuou e posteriormente declarou com firmeza: "Quando eu tenho algo a dizer, eu vou dizer!”.




terça-feira, 10 de agosto de 2010

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Não foi dessa vez que nós vimos o “Quem Não Viu, Vai Ver” na tela do SBT



O trocadilho do título da postagem não foi dos melhores, eu confesso. Mas a notícia não é das piores. A nova versão do programa com aspecto de mofo, “Quem Não Viu, Vai Ver”, planejada pelo SBT há algum tempo, não deverá mais ser levada ao ar. Após a gravação e avaliação do piloto do programa, que desta vez seria apresentada por Lígia Mendes e Beto Marden durante as tardes, os diretores da emissora da Anhanguera descartaram a volta da atração e encaminharam sua equipe para outras produções da casa.
Agora voltando ao início do post, tenho que explicar o motivo que me levou a dizer que a tal notícia não é nada ruim, na minha opinião. O “Quem Não Viu, Vai Ver”, na época em que era comandado por Hellen Ganzarolli e Caco Rodrigues era um apanhado de reprises tiradas dos arquivos do SBT e de reexibições de programas inteiros tais como “Topa ou Não Topa?” e “Vinte e Um”, intercaladas com matérias sobre atrações antigas da emissora e jogos com os telespectadores, valendo certa quantias em dinheiro. Pois bem. Para que mais um programa repleto de reprises e conteúdos repetitivos nas tardes da TV brasileira? Já bastam o “Tudo a Ver” e as zilhões de reapresentações dos episódios de “Todo Mundo Odeia o Chris”, na Rede Record. Está certo que desta vez seriam inseridas no programa algumas reportagens mostrando os bastidores do SBT, mas está na cara que isso seria levado a sério somente nas primeiras semanas da atração e depois esquecido completamente. Não é pessimismo, é realidade. Nós conhecemos o SBT. E como conhecemos...
Sendo assim, encaro essa notícia com um sorriso no rosto e espero que com o cancelamento da atração, o SBT pense em algo melhor para as tarde da emissora, pois elas estão precisando. Ah! Alguém aí faz idéia de onde o SBT pretendia meter o “Quem Não Viu, Vai Ver”, já que suas tardes estão repletas de novelas e mais novelas?

Mas é sempre bom lembrar: Este post pode deixar de ter validade a qualquer momento. Tio Silvio pode decidir levar o programa ao ar inesperadamente e quem sabe ao ligar a TV amanhã, não estarão lá a sorridente Lígia Mendes e o sem graça Beto Marden apresentando o “Quem Não Viu, Vai Ver”? Sei não, hein...

Fontes: Na Telinha, Coluna "Sem Intervalo" do jornal "O Estado de S. Paulo"

domingo, 8 de agosto de 2010

Confira o teaser trailer do anime de “Supernatural”


Foi divulgado na última sexta-feira (06/08), o primeiro teaser do anime adaptado da série televisiva norte-americana “Supernatural, produzido pela Warner Bros em parceria com o estúdio japônes Madhouse, várias vezes já citado aqui no blog em notícias acerca de outros trabalhos desse ramo de animação.
O vídeo (que você pode conferir mais abaixo) é bem curto: apenas 34 segundos. Mas mesmo assim já é possível discernir e identificar algumas cenas dos episódios da série original exibida nos Estados Unidos pelo canal CW desde 2005, que, aliás, deve ter sua nova temporada iniciada no final do outono americano deste ano.
“Supernatural: The Animation” deve contar com 22 episódios em sua primeira temporada, sendo que as histórias contadas serão mescladas daquelas das duas primeiras temporadas da série.
Ao contrário do que imaginava, o anime será lançado diretamente em DVD e Blu-Ray no Japão, através da Warner Home Video. O primeiro volume, a ser lançado no dia 12 de janeiro de 2011, contará com os dois episódios que dão o pontapé inicial da produção.
No Brasil, a série “Supernatural” ou “Sobrenatural” é exibida pelo canal Warner Channel e na TV aberta pelo SBT.
De uma coisa nós já sabemos: "Supernatural" é ótima como série live-action. Mas o que podemos esperar do anime baseado na produção?



sábado, 7 de agosto de 2010

Editora JBC lança mangá "Hiroshima: A Cidade da Calmaria" no Brasil



Ontem (06/08), todo o planeta relembrou o tenebroso e devastador lançamento da bomba atômica nuclear na cidade japonesa de Hiroshima, durante a Segunda Guerra Mudial. Momentos de emoção e reflexão permearam variados acontecimentos que objetivaram recordar o mundo acerca desta mácula irreversível da história da humanidade, que jamais deverá acontecer de novo.
Como forma de marcar os 65 anos desse terrível acontecimento através de uma publicação relacionada ao tema, a editora JBC lança no Brasil o mangá "Hiroshima: A Cidade da Calmaria", de autoria de Fumiyo Kouno.
Sob o selo JBC Graphic Novel (o mesmo que lançou "Golgo 13" e "Miyuki-chan no País das Maravilhas"), o mangá retrata as histórias e trajetórias de Minami Hirano e Nanani Ishikawa, duas jovens que vivem em cidades e tempos diferentes. Apesar disso, ambas possuem algo em comum: mesmo anos após o devastador lançamento da bomba nuclear, suas vidas ainda sofrem os efeitos da tragédia ocorrida em 6 de agosto de 1945.
A primeira parte da história mostra a Hiroshima durante o ano de 1955, ou seja, dez anos após o ataque nuclear. Nessa época, a jovem sobrevivente Minami Hirano possui uma vida normal, com uma rotina semelhante a de qualquer garota de sua idade. Contudo, ela ainda se sente assombrada pelas terríveis lembranças e recordações inevitáveis daquela ocasião tenebrosa.
Já a segunda parte apresenta como pano de fundo, o período compreendido entre o fim da década de 1980 e início dos anos 2000Nanami Ishikawa vive em Tóquio, com sua família. Apesar de distante de Hiroshima, a vida dessa personagem também é marcada pelas consequências do passado, que tendem a ser descobertas e compreendidas com o transcorrer da envolvente história.
O mangá "Hiroshima: A Cidade da Calmaria" conta com 112 páginas, possui formato 13,5 x 20,5 cm e custa R$ 19,90. Uma boa pedida, afinal, temos que aproveitar tais publicações de qualidade lançadas em nosso país.

Fumiyo Kouno, a autora de "Hiroshima: A Cidade da Calmaria"

P.S.: Você já deu o seu voto na enquete da barra lateral? Se não, não deixe de votar e avaliar o blog "Anexo Secreto". Conto com sua participação.

Fonte: HQ Maniacs

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Especial VMA


Nirvana e o incidente com o baixo 
de Krist Novoselic

Na edição de 1992 do Video Music Awards, a banda norte-americana Nirvana foi protagonista de algumas polêmicas que merecem destaque no nosso “Especial VMA”. Sua participação na famosa premiação foi inicialmente marcada por desacordos entre os integrantes do grupo e a MTV, no que se refere às escolhas das canções a serem apresentadas. O grupo queria suas músicas mais recentes na época, “Rape Me” e “Tourette's”, enquanto a emissora “sugeria” seu grande sucesso do passado “Smells Like Teen Spirit”.


No final das contas, o canal musical acabou concedendo à banda duas opções mais favoráveis a ambos: tocar "Teen Spirit" ou "Lithium". Os músicos acataram a segunda opção e ensaiaram para a apresentação. Tudo de acordo. Hora de ir para o palco. Eis que Kurt Cobain leva os executivos da MTV à surpresa imediata quando começa a tocar os primeiros acordes de “Rape Me”. Para sorte deles, o cantor retorna à canção escolhida e os manda-chuvas da emissora respiram aliviados. A apresentação como de hábito é intensa e originalmente executada, seguida por destruições costumeiras de seus instrumentos e amplificadores.
Todavia, o fato que merece mais atenção nessa apresentação ficou para o final... Nos últimos minutos do ato, o baixista Krist Novoselic não “conseguindo mais suportar a frustração” por seu amplificador não estar funcionando, faz o que um roqueiro genuíno faria em seu lugar: toma uma atitude de revolta extrema, tentando ser “cool”. O que ele não sabia é que sua ação teria efeitos colaterais doloridos... Bota dolorido nisso.
Ele jogou seu baixo para cima. Ok. Jogou para cima... E ele caiu em cheio em sua testa. O resultado foi um baixista desnorteado deixando o palco totalmente cambaleante. Dizem por aí que ele ficou desmaiado por um ou dois minutos. Vai saber...


Caso prefira conferir somente o incidente com Krist Novoselic, avançe o
tempo do vídeo para 04:00. 

 
Em 1999, a cantora de hip hop Lil' Kim deixou a vergonha em casa e partiu para o Video Music Awards em sua limousine, sem uma importante parte de seu vestuário habitual. Em uma de suas aparições mais polêmicas, a artista surgiu na premiação com um dos seios quase totalmente exposto, apenas com um diminuto pedaço de tecido em forma de leque sobre o mamilo. É evidente que logo ela se tornou o centro das atenções da premiação, sendo que mais tarde a controvérsia só seria intensificada por um episódio particularmente inesperado. Ao subir ao palco para apresentar uma categoria juntamente com Mary J. Blige e Diana Ross, Lil não imaginava que esta última fosse “apalpar” aquele que era o inevitável centro das atenções daquela noite. Enquanto Diana balançava o dito-cujo, Kim só ria... só ria... e sorria.


É só impressão ou a Mary J. Blige estava visivelmente desconfortável
e chateada com a situação?

Próxima semana, tem mais "Especial VMA". Aguardem!