sábado, 8 de agosto de 2009

Uma novela que dá gosto assistir...



Já há um certo tempo, uma novela do horário das sete não me prendia na frente da TV, como anda fazendo o "novo" folhetim de Walcyr Carrasco, "Caras e Bocas".
Diferentemente de "Sete Pecados" que após um início bastante promissor e interessante, passou a ser arrastada e confusa, "Caras e Bocas" é uma novela bem leve e gostosa de acompanhar. Quem a assiste tem diariamente, de segunda a sábado, uma hora de diversão e entretenimento garantida. É ótimo acompanhar uma trama tão bem encadeada, tão bem-humorada e com interpretações tão competentes. Todos os núcleos de personagens estão sendo bem-aproveitados e juntos formam um verdadeiro "novelão clássico", como disse o colunista Daniel Castro, há alguns dias, na Canal 1. Em "Caras e Bocas" não existe figuração de luxo, como aconteceu em "A Favorita" de João Emanuel Carneiro e vem ocorrendo também em "Caminhos das Índias", da autora Glória Perez. Todos os atores e atrizes tem seus momentos e suas próprias "histórias", sejam principais ou secundárias.
A cada dia fica melhor acompanhar o romance de Dafne (Flávia Alessandra) e Gabriel (Malvino Salvador), as peripécias do macaco Xico, os momentos cômicos de Bianca (Isabelle Drummond) e Felipe (Miguel Rômulo) e as confusões envolvendo os amantes Ivonete (Suzana Pires) e Adenor (Otaviano Costa), que sempre conseguem enganar o coitado do Fabiano (Fábio Lago).


Falando em Ivonete - que aliás está sendo muito bem interpretada por Suzana Pires - eu não consigo deixar de rir quando ela fala: "Fabiano, não me absorva, 'home'!", com aquele ótimo sotaque baiano. É muito engraçado.
Outros destaques são a nova faceta que Marcos Pasquim vem apresentando (se fosse ele, investiria nisso e não toparia mais interpretar os personagens descamisados de Carlos Lombardi) e também a atuação da sempre divertida Ingrid Guimarães.
Além de tudo isso, a novela ainda tem como diferencial, o fato de ter em seu elenco a primeira atriz deficiente visual com uma personagem realmente fixa. Danieli Haloten, a Anita, é a prova evidente de que as pessoas deficientes devem sim ganhar cada vez mais espaço na teledramaturgia brasileira e em outras áreas do mercado de trabalho. Palmas para ela e para a equipe da novela pela excelente iniciativa.
"Caras e Bocas" não é a melhor novela dos últimos tempos, mas com certeza tem muitas qualidades e acertos. Ao contrário de sua antecessora, a horrível e estranha "Três Irmãs", de Antonio Calmon (tomara que ele seja mesmo contratado pela Record, para dar seu prejuízos só por lá. Hehehe!).
O que me deixa chateado é que daqui a alguns dias não vou mais poder assisti-la, pois o reinício das aulas na universidade está próximo (estudo à noite). É a treva! (brincadeira... Adoro estudar. Era só para pegar carona no bordão mesmo!) .

4 comentários:

Tô Ligado disse...

Fala Junior!!!

Facul mata mesmo nossa vida televisiva rsrssrs.

Essa nova fase da Globo 'tá' sendo OTEMA. Pois eles não pensam em audiência estantânea, mas sim em ir crescendo aos poucos...mas constantemente.

Caras e Bocas é realmente muito boa e Paraíso (apesar de ser beeeeem arrastada) não fica para trás. Tenho a impressao que Cama de Gato e Viver a Vida vem para consolidar essa boa fase.

Abraços
Brunno

Paulo Roberto Montanaro disse...

Tbm gostei da novela. Confesso que vejo pouco, já que não estou me casa nesse horário quase nunca e quando estou, meu mestrado e outras coisas me mantém longe da TV, mas ela me surpreende sempre que me pego assistindo. Mesmo em Caminho das Índias vejo muitas qualidades e espero que ambas mantenham desta forma.

Há braços
Paulo

Mariana Linhares disse...

ESTOU AMANDO ACOMPANHAR CARAS & BOCAS. ESTOU VENDO APENAS ELA E SENHORA ATUALMENTE. ME DIVIRTO MUITO COM O NÚCLEO DE FABIANO E SUA ESPOSA IVONETE. ELES ESTÃO ARRASANDO E A COMÉDIA SÃO SEMPRE MUITO BEM DOSADA. A BIANCA É OUTRO PONTO POSITIVO NA TRAMA. WALCYR, A GLOBO E TODA EQUIPE ACERTARAM EM CHEIO NESSA NOVELA. ÓTIMA! TRES IRMÃS? O QUE DIABOS ERA ISSO? RSRSRS...

Blogaritmox disse...

Assino embaixo. CARAS & BOCAS é a consagração de Walcyr Carrasco como autor de novelas das sete. Ele tem uma competência genial. Se foi mal em 7 PECADOS, não repetiu NENHUM daqueles erros na atual novela.

O elenco é de primeiríssima, a escalação da Dani foi uma revolução, e dá gosto assistir, mesmo não sendo uma novela inovadora. É realmente um novelão clássico, do jeito que o brasileiro gosta.